Leros Magazine

Filmes, shows, peças
exposições, etc.

CINEMA: A VIDA INVISÍVEL
O filme A Vida Invisível, que estreia na Inglaterra no mês que vem, conta a história de duas irmãs inseparáveis, ​​que vivem sob a guarda de um pai conservador (Antônio Fonseca), em 1950, e sonham com uma vida distante do patriarca opressor.
Eurídice (
Carol Duarte) quer ser pianista profissional em Viena, e Guida (Julia Stockler), quer se casar com um marinheiro grego por quem está apaixonada. Guida consegue fugir com o amante, mas retorna ao Brasil solteira e grávida, enquanto Eurídice é forçada a se casar com o filho do sócio comercial de seu pai, Antenor (Gregório Duvivier).
O pai proíbe Guida de qualquer contato com a família e ela pensa que a irmã foi para Viena, embora Eurídice nunca tenha saído do Rio de Janeiro, onde ela vive deprimida, sufocada pelo casamento e pela maternidade. Impedidas de se reencontrarem, as irmãs terão que encontrar resiliência para superar os obstáculos que as impedem de se tornarem as mulheres que poderiam ter sido.

• Em cartaz na Inglaterra a partir de 15 de outubro (entrevista com o diretor Karim Aïnouz na Leros de setembro).
Stacks Image 248
FESTIVAL CASA:
Nascida em uma reserva indígena no Brasil, a artista Zahy Guajajara defende os povos indígenas e suas causas com sua arte. Ela participa do festival latino-americano de artes Casa com a mostra Aiku’è Zepé (foto), que explora o corpo e a natureza como seres inseparáveis ​​em um processo de busca de identidade.
A cineasta brasileira Luiza Rocha de Paiva também participa do festival como integrante do projeto Casa Creates, que reúne quatro artistas no dia 23 de setembro. Eles irão apresentar os estágios iniciais de seus novos trabalhos.
Radicado em Londres, o paulista
Victor Essex participa desta edição do Casa apresentando o monólogo Pertencer aonde?, que ele mesmo escreveu sobre sua identidade judaica, libanesa, brasileira e gay.
A outra atração brasileira do festival é o projeto Casa Comum, que reúne trabalhos de dez artistas indígenas da Amazônia. O projeto é baseado no período em que Renato Rocha passou na Amazônia desenvolvendo oficinas teatrais com artistas locais e comunidades ribeirinhas.
Clique aqui!
Stacks Image 240
LONDON FILM FESTIVAL:
Programação de curtas inclui filme brasileiro
Fantasma Neon é um curta-metragem musical brasileiro escrito e dirigido por Leonardo Martinelli, que participou Festival de Locarno e saiu premiado com o Leopardo de Ouro de Melhor Curta-Metragem Internacional. Com duração de 20 minutos, o curta acompanha a trajetória de um entregador no Rio de Janeiro que sonha em trocar sua bicicleta por uma moto e retrata a realidade dura dos entregadores de comida por aplicativo. Eles ganham pouco, se arriscam no trânsito, mas não perdem o suingue nesse musical que junto com os depoimentos de entregadores mostra cenas de dança e canto no centro do Rio de Janeiro, com os “bailarinos” carregando nas costas as mochilas quadradas que transportam as refeições a serem entregues.
A forma criativa que Martinelli encontrou de expor relatos de trabalhadores sobre familiares com covid-19 e mostrar a necessidade de se arriscar nesse tipo de trabalho em plena pandemia para garantir a sobrevivência rendeu elogios desmedidos ao diretor.
Fantasma Neon integra a sessão de curtas que será exibida no dia 7 de outubro, quinta-feira, 18:15h, no Prince Charles Cinema: 7 Leicester Place, WC2H 7BY. Ingressos: £10 (ou £5 para jovens de 16 a 25 nos).
Os curtas podem ser vistos gratuitamente no aplicativo
BFI Player durante a realização do London Film Festival, que acontece de 6 a 17 de outubro.
Clique aqui!
Stacks Image 234